Confissões – “Cê não me viu!”

Olá queridos desajustados. Tudo de boas?

Escolhi esse tema de hoje: Confissões, como o último da lista de desafios do blog, mas daqui para frente pretendo fazer outros posts temáticos e algumas outras coisinhas 😉

Na verdade não confessarei nada, pois descobri que não tenho segredos. Um absurdo. Sou um livro aberto, as pessoas sabem mais de mim do que eu de mim mesmo. Então escolhi três situações marcantes e que gostaria de compartilhar com meus amadinhos. Leiam com moderação.

Quem nunca teve paixonite de escola atire a primeira pedra. Eu tive várias. E eram mulheres (por incrível que pareça). E lembro que desde a quinta série eu era apaixonado por uma garota, chamada Nathalia (se você estiver lendo isso, um beijo querida, obrigado por me ignorar) e para piorar era minha amiga. Friendzone forever!!! Na sétima série existia um amigo meu (da onça), Rafael, vivíamos juntos nos intervalos fazendo todo tipo de zoação. Até que um dia ele extrapolou o limite da brincadeira. Estava eu no centro do patio da escola, onde se concentrava a grande massa de pessoas populares naquela época, e no meio dessas pessoas, Nathalia. E meu querido “amigo” teve uma grande ideia. Abaixar minha calça na frente de todos. Eu estava sem cueca, só de samba-canção, e dei a sorte de ele não ter puxado junto.

Não sabia se batia nele, corria pra bem longe da li ou ria da situação. Mas para minha sorte a diretora vinha toda pomposa, ignorando a situação a volta, e corri para ela e expliquei o que ele fez. O cu dele trancou na hora. Mas adivinhem o que ela fez? Nada. Exatamente, aquela filha de uma abençoada ignorou e pediu para pararmos com brincadeiras do tipo. E ficou nisso.

Outra situação constrangedora, até o momento poucos sabiam mas agora todos ficarão cientes. Aconteceu no quartel (para quem não sabe, servi o ano obrigatório) em um dia que já acordei meio ruim do estômago, e sou o tipo de pessoa que a pressão caí quando preciso ir ao banheiro mas não vou. Naquele dia estava já atrasado para entrar em forma com o pelotão para os exercícios diários mesmo precisando “fazer um depósito”, mas assim que entrei em forma comecei a passar mal. Pedi ao sargento pra sair de forma pois não estava bem e ele me liberou. Só lembro que saí correndo em direção ao meu armário para pegar papel higiênico já vendo tudo escuro e embaçado, e no minuto seguinte apaguei. Acordei com dois tenentes me segurando um de cada lado no chão, tentando me reanimar e outros dois soldados pedindo ajuda. Quando me situei de onde estava, também prestei atenção em outra coisa: eu havia me cagado! Eu me borrei todo, caguei nas calças! Ninguém viu ou pelo menos comentou, levantei disfarçadamente, fui me lavar e trocar de roupa. Mas foi um dia horrível, e fedido.

E para acabar, essa situação não foi constrangedora, mas diferente. Foi a primeira vez que encontrei meu atual namorado. Até então conversávamos somente via Badoo (pois é), tínhamos interesses em comum, trocávamos ideias e tals. Ele faria seus 19 anos e no dia do aniversario ele falou que iria sair para comemorar com outro amigo no Parque Ibirapuera (o melhor parque de São Paulo do meu ponto de vista) e perguntou se eu queria ir, eu estava de boas, sem nada pra fazer, aí fui né, já com aquela dor de barriga de ansiedade. Tenho sérios problemas de estômago, ele parece querer me foder quando não pode. Chegando lá me deparei com um moço feio, que era o amigo dele, e o outro baixinho moreno, meu namorado kkkkk. Até aí tudo bem, ficamos conversando besteiras e quando fomos ver já era tarde. A hora que as coisas assustadoras acontecem no parque.

Para quem não conhece o Ibira, de noite rola altas putarias, dentre elas o “Bananal”. Lá fomos os três pro meio da baderna, onde presentei meu amado. Nos jogamos entre os bananais e lhe fiz um solo de clarineta, fiz uma chamada para Tóquio…acho que  deu pra entender. E lembro que no meio dos bananais, haviam vaaaarias “Irenes” com a manjola pra fora e tals. Bem embaraçoso. Daquele dia em diante criamos uma amizade colorida até chegarmos onde estamos. Diferente né, imagine nós contando essa história para nossos futuros filhos hihi.

Gente, espero que tenham gostado, mesmo com essa perversão toda, mas se você não quiser mais ver coisas desse tipo de conteúdo, e melhor parar de me seguir ou ler, tá okay 😉

Curtam, compartilhem, deixem nos comentários o que acharam, e situações embaraçosas que já sofreram, pois tenho certeza que todos passaram por algo quase do tipo. Até a próxima, bye!!!

Anúncios

4 comentários

  1. Devaneius · abril 5, 2016

    Republicou isso em Devaneiuse comentado:
    Sensacional este post ( E não é porque é do meu namorado, ok? hehe) Acompanhem.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Devaneius · abril 5, 2016

    Hahahaha sensacional, ainda estou rindo da “chamada para Tóquio” kkkk Alias, foi o melhor primeiro encontro da minha vida, e o que veio depois melhor ainda ❤
    Se fosse comigo o lance da calça eu teria agredido o moleque, onde já se viu isso perto da crush hahahah Parabéns, ansioso por mais 😉

    Curtido por 1 pessoa

  3. letitbeaq.worpress.com · abril 6, 2016

    Quanta coragem de falar essas coisas, menino. Te admiro viu hahaha
    Gostei do post e acho que no fundo foram algumas confissões suas mesmo!! Continue verdadeiro e sincero, assim você consegue muitos seguidores fiéis *-*

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s